Quinta-feira, 5 de Maio de 2011

 «To make a prairie it takes a clover and one bee»

                                                                             Emily Dickinson

 

Admirar uma papoila,
por ser só e ser vermelha
no verde tenro de maio;
ler três ou quatro versos
de um poeta morto 

e numa folha de trevo
encontrar o meu rosto;
olhar a lua subindo a serra,
nem tanto pela velha lua,
mas por eu desejar vê-la.

 

Pouco? Talvez nada me contente,
nunca nada me complete.

 

Ah bolhinhas de ar, plops de nada —

espuma de ondas em redor dos pés.

 

© soledadesantos

 



publicado por sol às 09:43 | link do post

mais sobre mim
Maio 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

Da tradução

Fantasia

Naquele tempo

Quatro versos em Maio

Esconjuro

a tranquilidade de alma

...

Evocando um amigo morto

Ulisses a Nausicaa

Tormento

Do ciclo da areia

Respirar

Intervalo

arquivos
tags

ciclodaareia

desteoutono

diasplanos

homero

séneca

sobosteuspésaterra

sophia

tradução

todas as tags

Feeds
Creative Commons License
Estou no blog.com.pt - comunidade de bloggers em língua portuguesa